PREPARANDO-SE PARA O CASAMENTO

Resultado de imagem para noivos cristãosMt 7.24.

INTRODUÇÃO

O casamento é um dos passos mais interessantes e desejados pela maioria das pessoas. É o sonho da maior parte dos jovens, principalmente dos jovens cristãos. É, contudo, um dos passos mais difíceis de serem dados na vida. A vida a dois é mais difícil que a vida em meio a uma multidão. Diante disso, é necessário que os noivos cristãos tenham o preparo básico, indispensável,  para a vida matrimonial.

1. O CASAMENTO E SEU SIGNIFICADO

Biblicamente, o casamento é a união entre um homem e uma mulher, com o propósito de:

1)  Amarem-se um ao outro, preenchendo suas necessidades emocionais e físicas (Gn 2.18).
2)  Constituir família, visando a procriação da espécie (Gn 1.27,28);
3)  Servir e adorar a Deus, a partir de um lar devidamente constituído.


2. O PREPARO NECESSÁRIO PARA UM CASAMENTO FELIZ

2.1. O EXEMPLO DOS PAIS. Na infância, muitas coisas vão-se sedimentando na mente das pessoas, condicionando-as para o futuro. Dizem os psicólogos que os traumas da infância determinam o comportamento das pessoas na idade adulta. Em Pv 22.6., lemos que a criança não se esquecerá do que lhe for ensinado (De bem ou de mal). A personalidade depende muito do que ocorre na infância. A Bíblia diz: “Tal pai, tal filho” . “Tal é a mãe, tal é a sua filha” (Ez 16.44).

2.2. A FORMAÇÃO RECEBIDA NO LAR. A educação doméstica tem papel preponderante no comportamento das pessoas. Uma educação permissiva, em que a criança ou o jovem não conheceu limites para sua conduta, pode levá-lo a ser uma pessoa que não sabe respeitar normas, nem ética; por outro lado, uma formação muito rígida, pode levar a pessoa a ser insegura, perfeccionista, temerosa.

3. O PREPARO ESPIRITUAL.

3.1. A DIREÇÃO DE DEUS. A Bíblia diz que o justo vive da fé (Rm 1.17). Dentro dessa perspectiva, cremos que, no namoro e no noivado, os jovens devem buscar a direção de Deus quanto ao casamento (Rm 8.14; Pv 18.22; 19.14; Is 48.17).

3.2. A VONTADE DE DEUS.  A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável (Rm 12.1).

3.3. OS MESMOS OBJETIVOS E CONVICÇÕES ESPIRITUAIS. Não submeter-se a um “jugo desigual” (2 Co 6.14; Gl 5.22). União na vida devocional. O interesse pela Palavra de Deus, pela igreja, pelo louvor. Saint Exupéry já dizia: “Amar não é olhar um para o outro, mas olhar juntos numa mesma direção”.

3.4. SUBMISSÃO Á PALAVRA DE DEUS. É aceitar os princípios da Palavra de Deus para o matrimônio. O homem feliz é aquele que TEME  a Deus e ANDA nos seus caminhos (Sl 128.1). É indispensável para um casamento feliz.

3.5. SUBMISSÃO AO ESPÍRITO SANTO. O noivo e a noiva, que se submetem ao Espírito Santo, demonstram desde cedo, que têm o FRUTO DO ESPÍRITO na vida, conforme Gl 5.22-23. Demonstram que são verdadeiros crentes em Jesus. No namoro e no noivado, já demonstram possuir AMOR, GOZO, PAZ, LONGANIMIDADE, BENIGNIDADE, BONDADE, FÉ, MANSIDÃO e TEMPERANÇA. Havendo essas coisas, no noivado, são garantia para um casamento feliz.

4. INDEPENDÊNCIA DOS PAIS (Gn 2.24).

“Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe....”. Esse “deixar” pai e mãe é fundamental para um casamento estável. Para que a experiência matrimonial seja desenvolvida em sua plenitude. Essa independência é emocional, domiciliar e financeira.

5. O PREPARO EMOCIONAL.

Nesse aspecto, os noivos devem observar, analisar e considerar a questão dos TEMPERAMENTOS, incentivando as virtudes, compreendendo e evitando os  defeitos. (1 Co 13.7; 1.10). É preciso conhecer a si mesmo e conhecer o outro, para poderem amar-se sem traumas e conflitos desnecessários. A seguir, temos um quadro sobre os 4 tipos predominantes dos temperamentos.

TIPO
VIRTUDES
DEFEITOS



1. SANGUÍNEO
Comunicativo
Volúvel

Entusiasta
Indisciplinado

Bom Companheiro
Egocêntrico

Compreensivo
Exagerado

Afável
Barulhento



2. COLÉRICO
Enérgico
Iracundo

Otimista
Impaciente

Eficiente
Prepotente

Decidido
Vaidoso

Líder
Insensível



3. MELANCÓLICO
Habilidoso
Egoísta

Minucioso
Amuado

Sensível
Pessimista

Leal
Inflexível



4. FLEUMÁTICO
Calmo
Temeroso

Tranqüilo
Indeciso

Bem-humorado
Desconfiado

Líder
Desmotivado

(LA HAYE, p.34-57)


5.1. INDICADORES DE MATURIDADE EMOCIONAL

Segundo Adams (p. 31,32), uma pessoa, madura emocionalmente para o casamento, demonstra, dentre outras, as seguintes características:

1)  Suporta uma razoável carta emocional sem explodir;
2)  Não se descontrola diante dos aborrecimentos, desapontamentos, frustrações e dificuldades;
3)  Não se desmancha em lágrimas de autopiedade;
4)  Não fica amuada, recusando-se a falar ou recorre a outras maneiras tolas e infantis, próprias de pessoas imaturas;
5)  Já venceu as ansiedades e medos infantis (traumas infantis);
6)  Torna-se emocionalmente independente de seus pais (Gn 2.24), capaz de viver sua vida e tomar decisões;

Esse crescimento leva tempo. No namoro e no noivado, é interessante que seja observado esse crescimento emocional. Do contrário, pode haver sérios problemas com a “INCOMPATIBILIDADE DE GÊNIOS”, que tem sido causa de inúmeros divórcios.


6. O PREPARO SOCIAL

Referimo-nos ao preparo para viver em família e com famílias. Os noivos não se casam como “ilhas” no meio da sociedade. Certo autor diz que o jovem casa com a noiva e com a família dela e a jovem casa com o noivo e a família dele. Em item anterior, já falamos sobre a herança familiar que se pode levar para o casamento.

7. O PREPARO ECONÔMICO-FINANCEIRO

É importante que os noivos tenham um mínimo de condições financeiras para poderem constituir um lar, ter filhos, manter a casa e terem uma vida condigna. E isso não se faz só com oração. É preciso ter emprego, trabalho e dinheiro. A estória de casar “pela fé” não funciona muito bem na prática. E não tem base bíblica. Ler Ef. 5. 28 e 29.

8. O PREPARO PARA A VIDA SEXUAL

8.1. A ESPERA ATÉ O CASAMENTO. No namoro e no noivado, o diabo sempre tenta os jovens crentes para a prática do sexo antes do casamento. E não poucos têm caído na armadilha do inimigo da felicidade conjugal. Acontece que tal prática é contrária ao plano de Deus para o ato sexual, que deve privativo dos casados. Por que esperar?

1) Em Pv 5.l8, vemos que o relacionamento sexual é para os casados. Em Cantares de Salomão, da mesma forma (Ct 4.8-12).
2) A união numa só carne foi prevista para o homem (esposo) e “sua mulher” e não sua noiva (Gn 2.24).
3) A prática de ato sexual entre solteiros é fornicação, condenada pela Bíblia (Ef 5.5a); 1 Tm
1.10a); Ap 21.8a).                
4) QUEM AMA ESPERA. “O amor não se porta com indecência, não busca seus interesses...tudo sofre, tudo crê, tudo espera”  (1 Co 13.5, 7).

Desobedecer esses princípios é PLANTAR SEMENTES malignas para o casamento. E o que o homem semeia, colhe (Gl 6.7).

8.2. COMO ESPERAR? É difícil, mas não impossível (Fp 4.13). Para os noivos manterem-se castos até o casamento, necessário se faz: a) Cuidarem da vida espiritual: ler a Bíblia, orar, ocupar-se na obra do Senhor (Mt 6.33). b) Cuidarem da vida emocional: ocuparem a mente com coisas boas, fugindo da TV imoral, das revistas pornográficas, das novelas diabólicas (Fp 4.8; 2 Ts 3.10-11; Sl 101.3); d) Ocuparem seu tempo com estudo, trabalho, atividades físicas. f) Fugirem dos desejos da mocidade (2 Tm 2.22). É a “fuga estratégica” para a vitória. (Ler, ainda, Pv 3.7, 27; 22.3). g) Resistir ao diabo e ele fugirá (Tg 4.7).

8.3. CONHECIMENTO SOBRE O SEXO. É importante que os noivos procurem, primeiro, na Bíblia, o que Deus deseja do casal cristão com relação ao sexo. Depois, é interessante que leiam bons livros, de autores cristãos, honestos, que escrevem sobre o tema. A Bíblia diz que o  povo estava sendo destruído por falta de conhecimento (Os 4.6).

8.4. A LUA-DE-MEL. Jaime Kemp (p. 136-144), diz que a lua-de-mel é importante porque: “é o início da experiência de ´uma só carne`. Os dias ou semanas desse período devem ser planejados. Se possível, é bom que viajem. Um livro apropriado para os noivos lerem quando estiverem próximos do casamento é “O Ato Conjugal”, de Tim La Haye. Dois cuidados devem ser tomados. Um, achar que o sexo é a finalidade do casamento, é tudo. Outro, pensar que o sexo é nada. J. Kemp dá algumas orientações:

1)  O período da lua-de-mel não deve ser muito curto (2 dias, p. ex.) nem muito longo, com mais de duas semanas.
2)  Deve-se ter cuidado para que as providências para a cerimônia não deixem o casal estressado. Isso pode prejudicar a primeira noite.
3)  A primeira experiência sexual deve ser uma alegria, uma bênção e não preocupação. Os noivos devem preparar-se para ter paciência, amor, carinho e afeto.
4)  É importante que haja privacidade.
5)  A higiene pessoal deve ser bem cuidada, para que os dois sintam-se bem no contato sexual.
6)  O ato conjugal envolve três períodos: a) O despertamento ou “jogo do amor”. O homem excita-se mais rápido que a mulher. Esta precisa de mais tempo para ser despertada para o prazer do sexo. b) O segundo momento é o clímax (o orgasmo), quando o casal atinge a satisfação máxima. É preciso amor, compreensão, paciência. c) O esfriamento: após o orgasmo, vem a sensação de saciedade, de cansaço agradável. É importante que um expresse ao outro a alegria, a gratidão.

9. A CONDUTA SEXUAL DO CASAL CRISTÃO.

9.1. FINALIDADES

1)  PROCRIAÇÃO (Gn 1.28)
2)  AJUSTAMENTO E PRAZER (1 Co 7.1-7; Pv 5.18).
3)  COMUNICAÇÃO (Gn 4.1).


9.2. COMO DEVE SER

1)  ALEGRE (Pv 5.18-23; Ec 9.9). O prazer do sexo é bênção de Deus para o casal.
2)  EXCLUSIVA - monogâmica (Pv 5.15-17). Não é admissível pessoa estranha.
3)  SANTA (1 Pe 1.15; 1 Ts 4.4-8).
4) NATURAL (Ct 2.6; 8.3). Aberrações e  perversões constituem abominação a Deus.

9.3. RESPEITAR O CORPO - TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO (1 Co 6.19,20).

Diante disso, a relação sexual do casal cristão deve respeitar os limites da pureza e da santidade, sem que isso prejudique o direito ao prazer. O casal pode desfrutar o sexo com respeito e satisfação. O que não é admissível é a prática de sodomia, sexo oral e outros comportamentos próprios dos ímpios.


10. AMOR OU PAIXÃO?

A paixão é cega. O amor vê longe. A paixão só visa os interesses egoístas. O amor deseja a felicidade do outro. Até hoje, não se sabe dar uma definição de amor. Entretanto, a Palavra de Deus nos demonstra as características do verdadeiro amor em 1 Co 13.4-7.

1)  O amor é paciente;
2)  O amor é benigno;
3)  O amor não arde em ciúmes;
4)  O amor não se ufana;
5)  O amor não se ensoberbece;
6)  O amor não se conduz inconvenientemente;
7) O amor não busca os interesses próprios

1)  O amor não se exaspera;
2)  O amor não se ressente do mal;
3)  O amor não se alegra com a injustiça;
4)  O amor regozija-se com a verdade;
5)  O amor tudo sofre;
6)  O amor tudo crê;
7)  O amor tudo espera;
8)  O amor tudo suporta.


Se, no seu noivado, você percebe que existe amor; se você vê que os requisitos apresentados neste curso estão presentes pelo menos em sua maioria, no relacionamento entre os dois, então, HÁ SINAL VERDE PARA O CASAMENTO!

Porém....se a maioria deles está ausente no noivado:


10.1. SINAL AMARELO PARA O CASAMENTO!

Florio (p. 80-82), dá algumas indicações sobre os “sinais de perigo” que determinam cautela, prudência e cuidado para não entrar num casamento infeliz. Em resumo, são os seguintes:

1)  Um sentimento de falta de paz interior, indicando que “algo está errado”. Pode ser a voz de Deus alertando  para não seguir adiante.
2)  Discussões freqüentes. Mais briga do que alegria e entendimento.
3)  Evita discutir assuntos melindrosos, com medo de ferir os sentimentos dele(a). Ex. “Será que ele(a) não poderia controlar melhor seu gênio”?
4)  Começam a envolver-se fisicamente mais do que o permitido pela Palavra de Deus. Um, mesmo não querendo, deixa-se usar, para não gerar discussões. O relacionamento pode ser apenas no plano físico, não havendo o verdadeiro amor. No casamento será pior.
5)  Você percebe que está sempre fazendo o que ele (a) quer que faça. Sempre abre mão, acomodando-se. Pode indicar um(a) companheiro(a) egoísta e dominador(a) ou insegurança de sua parte.
6)  Você descobre sérias perturbações emocionais, tais como temores exagerados, comportamento esquisito, irritação indevida, agressões físicas, incapacidade de demonstrar afeição.
7)  Se percebe que continua o noivado por medo. “Gostaria de parar o noivado, mas tenho medo do que ele(a) me possa fazer”; “ tenho medo de que ele(a) se suicide; me sentiria culpado(a)”.
8)  Se o noivo sempre dá desculpas por não arranjar emprego, se pede sempre dinheiro emprestado.
9)  Se o(a) noivo(a) é extremamente ciumento(a).
10) Se o (a) noivo(a) é perfeccionista e vive sempre lhe criticando. Isso cria uma atmosfera mórbida, tensa.
11) Se os pais e outras pessoas são fortemente contra o casamento. É melhor verificar se eles têm razão, antes de se decidir pelo casamento.
12) Se há poucas áreas de interesse comum.
13) Se ele(a) não pede desculpas por estar errado(a).

Se a maioria dos indicadores ocorrem , o SINAL VERMELHO pode acender! Em caso de dúvida, é melhor não casar, ou adiar a decisão, até que tudo fique bem claro.


CONCLUSÃO

Nestes estudos, procuramos reunir informações, conselhos, orientações e indicações que podem contribuir para um casamento feliz. O mais importante de tudo o que foi estudado é o que está embasado na infalível Palavra de Deus, o autor do casamento, da família e do lar. Esperamos que os noivos, ao término do curso, sintam-se mais seguros para irem ao altar a fim de dizerem “SIM”, diante de Deus, de Sua Igreja, de suas famílias e da sociedade. (Nm 6.24-26.)

Postado por MINISTÉRIO PALAVRA VIVA às 12:45 
Enviar por e-mail
BlogThis!
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Facebook
Compartilhar com o Pinterest