O Poder do Controle Remoto

gadgets_remote-360px


 4 de março de 2017
No filme Click, Michael Newman, interpretado por Adam Sandler é um pai de família em busca do sucesso profissional, que se encontra desafiado a administrar bem o seu tempo, olhando, acima de tudo, para a melhoria de seu desempenho profissional e o aumento de sua renda financeira. Um dia, ele vai a uma loja e acaba dormindo em uma cama. No sonho ele encontra Morty, interpretado por Christopher Walken, que entrega a ele um controle remoto com poderes de registrar e controlar os passos de sua vida.
Tudo o que Michael quer de sua vida ele consegue com esse controle. Se algo está chato, ele adianta aquela parte e todos esses momentos, como brigas, sexo, problemas no trabalho, o controle tem o poder de registrar e repetir o efeito em cada situação. O grande objetivo de vida de Michael é ser sócio da empresa que trabalhava, e, quando ele abre os olhos, sua esposa estava casada com outro, seus filhos são grandes e estão distantes dele, seu pai já havia falecido e ele nem estivera no seu funeral. Daí ele percebe que o sucesso profissional não é o mais importante.
Obviamente a grande lição desse filme é sobre o desafio que temos no cotidiano, de colocar as coisas certas nos lugares certos. Família, trabalho, relacionamento com Deus, etc.
Numa cena, ao final da vida de Michael, ele vê seu filho repetindo o seu erro, saindo da festa de casamento e indo direto para uma viagem de negócios, ao invés de curtir sua lua-de-mel. Michael corre para o seu filho, e, num último suspiro de vida diz que a família é mais importante e que ele deve cuidar dela primeiro.
Algumas aplicações para a nossa vida em relação ao tema dessa edição:
1. A televisão, assim como o dinheiro e nosso trabalho são excelentes servos e péssimos senhores! Não podemos deixar que essas coisas ditem as regras da nossa vida e da nossa família. Somos o que consumimos, seja comida, música, livros, internet e programas de televisão. Precisamos controlar o que acessamos, o que nossa família acessa/consome. Uma vez que controlo essas coisas, Deus abençoa e minha família vive bem. Mas, se sou controlado por essas coisas, a tragédia pode acontecer. Por isso, peça a Deus o controle de tudo isso. Esteja no controle, controlado apenas por uma pessoa: Deus!
2. Não só temos que ter o controle do acesso e do consumo, como também precisamos confrontar as informações do consumo com o que nos ensina a Bíblia. Nossa família terá acesso a informações não somente pela nossa casa. Digamos que você não deixe sua família assistir novela, por exemplo. No Brasil a cultura da novela está presente, ou seja, sua família saberá da novela por outras fontes. Seja por pessoas no trabalho, no colégio, na faculdade, etc. Esteja pronto para confrontar os assuntos abordados nas novelas e filmes e deixar claro o que é mais importante de tudo que está sendo dito. Se alguma coisa não condiz com a Palavra, exorte sua família sobre o que a Ela diz.
3. A televisão está tirando o lugar da mesa na família. Existe uma propaganda de uma marca de televisão que propõe que ela seja o motivo da família se reunir novamente. Na verdade, a família precisa, sim, se reunir, mas não em frente a algo que tira o diálogo, a conversa, o olho no olho. Não proponho que você venda sua televisão. Não sou tão radical, mas proponho uma volta à mesa. Lugar de comunhão, conversa, diálogo e confraternização em família.
Artigo escrito pelo pr. Elthom Sá. Missionário do Ministério OIKOS.
http://www.clickfamilia.org.br/oikos2015/index.php/o-poder-do-controle-remoto/