PREPARANDO-SE PARA ACERTAR NO CASAMENTO - Meacir Carolina Frederico Coelho



Uma palestra preparada e apresentada aos jovens da Igreja Batista em Maracaju – MS

INTRODUÇÃO

“As emoções compartilhadas/expressas são ingredientes essenciais nos relacionamentos saudáveis” (Gary Oliver). Quando se pensa em casamento, a preocupação é preparar-se para um relacionamento saudável. Não basta conhecer alguma coisa a respeito da outra pessoa. É preciso abrir o coração, dividir anseios e desejos profundos. Arriscar expor suas dúvidas, medos e inseguranças. Ou seja, compartilhar emoções. Para que assim aconteça, é preciso permitir que Deus renove mentes (1Co 2.16, Rm 12.2, Fp 2.5), cure emoções (Rm 14.1, Ef 4.26 e 5.1-2) e dirija escolhas (Rm 13.12, Ef 4.22-24, Fp 3.13).

É recomendável que um reconheça e aceite no outro as diferenças fisiológicas, culturais e emocionais.

1. RECONHEÇA AS DIFERENÇAS FISIOLÓGICAS HOMEM/MULHER

Quando Deus criou a mulher disse: “Não é bom que o homem viva sozinho. Vou fazer para ele alguém que o ajude como se fosse a outra metade” (Gn 2.18, NTLH). Que o ajude como se fosse a outra metade significa em “oposição ajudando”. Entende-se que a mulher não é um clone do homem, mas um complemento. A Bíblia mostra a diferença, mas ressalta a cooperação entre os diferentes e não choque (1Co 11.11-12).

É bom e necessário reconhecer que há diferenças na fisiologia dos cérebros masculino e feminino. Mas, cuidado para não cair na tendência infeliz de atribuir ao sexo/gênero muitas diferenças adotadas de fatores externos que contribuem para moldar o desenvolvimento.

O Dr. Willard Gaylin afirma que “os meninos têm diferenças distintas, mas há certos estereótipos homem/mulher que muitos adotam ainda hoje, e que são difíceis de mudar”. Por exemplo:

MASCULINO ..................... FEMININO

assertivo ............................. passivo

independente .................... dependente

lógico .................................. emocional

preocupado ....................... enfocado

forte .................................... fraco

calado ............................... falante

corajoso ............................. medroso

competitivo ...................... cooperativo

firme ................................. amável

Ainda sobre diferenças, Carol Travis esclarece que em certas áreas de atuação as mulheres são semelhantes aos homens e em outras áreas são encontradas diferenças:

SEMELHANÇAS: Áreas de dependência, empatia, disposição e “mau humor”, capacidade sexual e desejo, necessidade de realização e amor, apego e poder.

DIFERENÇAS: Áreas de estilo de comunicação, poder e posição no trabalho, nos relacionamentos e na sociedade.

Já ouviram falar que mulher é intuitiva e homem é racional? Será que também acontece o contrário? É uma diferença fisiológica ou um estereótipo?

2. RECONHEÇA A FORMAÇÃO CULTURAL/EMOCIONAL DOS HOMENS

Historicamente, os homens foram feitos para concentrar-se nos desempenhos individuais, e as mulheres foram encorajadas a enfocarem os relacionamentos pessoais. O trabalho principal do homem era prover os recursos materiais necessários e o da mulher, prover recursos relacionais ou educacionais necessários. Criaram-se mitos sobre os homens, entre eles que: Os homens são grandes, valentes e fortes. Os homens não são emotivos e não expressam afeto. Os homens não são fracos e não desmoronam. Os homens não choram. Os homens são grandes amantes e têm um apetite sexual insaciável. O valor de um homem é determinado pelo que ele faz e por quanto ganha. E ainda, os homens são o oposto das mulheres.

Não aceitem mitos e estereótipos. Gary Oliver foi muito feliz na descrição de um homem de verdade quando assim se expressou: “Tornar-se um homem de verdade não começa com o que fazemos. Começa com o que somos. Não começa com a nossa altura ou o tamanho da nossa conta no banco. Começa com o fato de sermos criaturas feitas à imagem de Deus”.

3. RECONHEÇA A FORMAÇÃO CULTURAL/EMOCIONAL DAS MULHERES

As mulheres têm linguagem emocional diferente dos homens. São modos diferentes de expressar intimidade.
PARA ELAS FACE A FACE: Intimidade significa partilhar idéias e emoções de coração para coração.
PARA ELES LADO A LADO: Intimidade significa partilhar mesma atividade (projetos, caça, pesca).
PARA ELAS LADO A LADO: implica em falta de interação e de revelar-se um ao outro. Significa compartilhar só o racional e não o emocional.
PARA ELES FACE A FACE: implica em acerto de contas, confronto ou julgamento. Parece conversa banal.

FACE A FACE SIGNIFICA QUE É POSSÍVEL
PARA OS DOIS: e QUE OS DIFERENTES

LADO A LADO VIVAM EM HARMONIA

4. RECONHEÇA QUE OS DIFERENTES PODEM VIVER O AMOR/HARMONIA

Amor ou paixão? Difícil saber a diferença? Veja a distinção feita por Judith Viorst em Amor e culpa significado do amor: “Paixão é quando eu penso que ele é tão deslumbrante quanto Robert Redford, tão puro quanto Solzhenitsyn, tão engraçado quanto Wood Allen, tão atlético quanto Jimmy Conners e tão inteligente quanto Albert Einstein. Amor é quando você compreende que ele é tão deslumbrante quando Woody Allen, tão inteligente quanto Jimmy Conners, tão engraçado quanto Solzhenitsyn, tão atlético quanto Albert Einstein e nem um pouco como Robert Redford em qualquer aspecto – mas você o aceita mesmo assim”.

Sobre o amor, um jornal de Montana EUA, publicou uma frase bem interessante. “O amor é um sentimento que você sente quando sente que está sentindo um sentimento que nunca sentiu antes”.

Discordo em parte. O amor não é só sentimento. O amor é uma escolha. É uma decisão. É um compromisso incondicional com uma pessoa sabidamente imperfeita.

Amar é sempre fazer algo. É sentir-se impulsionado a aprender o que a outra pessoa precisa e deseja. É reconhecer quando o outro sofre ou está desanimado. É desejar orar pelo outro e com o outro. É conversar com o propósito de ouvir para ajudar e ser ajudado. O amor se expressa, entre outras, por duas dimensões principais.

CUIDAR: é uma atitude. É o que uma pessoa sente em relação a outra pessoa. É emocional.

ALIMENTAR: é uma atividade. É o que uma pessoa faz para a outra pessoa. É comportamental.

É fundamental e possível cuidar e alimentar. Este é um compromisso incondicional, para toda a vida a dois. Diga sempre: “amo você”. Por palavras e por pequenas atitudes. Promova surpresas agradáveis em dias especiais. Um jantar a dois, a sobremesa que vocês gostam, um bilhetinho na geladeira, um bombom na gaveta, uma flor ao chegar em casa. Há muitas maneiras emocionantes de dizer: “Você é importante para mim”. “Agradeço a Deus por sua vida na minha vida”. “Hoje é um dia ótimo para dizer que te amo demais”.

5. RECONHECER QUE A ANSIEDADE SAUDÁVEL É BENÉFICA

A preocupação exagerada pode se tornar em ansiedade doentia. A ansiedade doentia leva a pessoa a gastar muita energia e emoção com problemas que não aconteceram ainda. A ansiedade doentia acaba em complexo de gafanhoto (Nm 13.33). É a síndrome do “E se…?”

Eu quero casar, constituir uma família, ter filhos. Mas… “E se… não há amor de verdade?”. “E se… ela pensa que me ama?”. “E se… não pudermos ter filhos?”. “E se… não soubermos criar os filhos?”. E por aí vai. A ansiedade doentia produz efeitos devastadores:
A pessoa vê o problema maior do que ele é.
A pessoa perde o rumo do que é importante (perspectiva distorcida)
A pessoa tem dificuldade em tomar atitudes construtivas.
A pessoa consome mais energia física e emocional do que precisaria para resolver o problema real.
A pessoa se torna mais impaciente e mais vulnerável diante da situação e pode tomar decisões imprudentes.

Como lidar com a preocupação para mantê-la como ansiedade benéfica e não chegar à ansiedade doentia? O melhor a fazer é lidar com a preocupação antes que ela se instale e se torne um caso desagradável e potencialmente perigoso. A prevenção envolve três atitudes:
Permitir a ação de Deus para que seus valores espirituais controlem as situações.
Reconhecer que há três categorias de circunstâncias: as que podemos controlar ou mudar, as que podemos influenciar e as que não podemos mudar ou influenciar. E para a última categoria, pedir a ajuda de Deus para aceitar o que não pode ser mudado.
Vivenciar um dia de cada vez (Mt 6.34). Risquem a lista do “E se…?”

“O ontem é um cheque cancelado, o amanhã é uma nota promissória e o hoje é dinheiro vivo. Gaste-o com sabedoria”. Sábio conselho que li alhures.

CONCLUSÃO

Preparem-se para acertar no casamento. Reconheçam as diferenças fisiológicas culturais e emocionais que trazem níveis diferentes de ansiedade. Mas, acima de tudo reconheçam o padrão de Deus para a formação da família. Louvem a Deus e alegrem-se. Ele é maior que os problemas. É o Deus que dá a paz e estará com vocês (Fp 4.9).

Vocês podem ter um casamento muito feliz tendo em mente que a felicidade é um subproduto da santidade (Sl 1)

BIBLIOGRAFIA



OLIVER, Dr. Gary. Homens de verdade. S. Paulo: Editora Sepal, 2001

PECK, M. Scott. A trilha menos percorrida. Rio de Janeiro: Editora Imago,1994

SOUZA, Manoel Nascimento Pereira de. Conflitos humanos X soluções divinas. Rio de Janeiro: JUERP, 1995

TOURNIER, Paul. Para melhor compreender-se no matrimônio. São Leopoldo: Editora Sinodal, 1979

VIORST, Judith. Amor e culpa – significado do amor. Nova Iorque: Simon e Schuster, 1984

WAKEFIELD, Norm e BROISMA, Jody. Homens são de Israel, mulheres são de Moabe. São Paulo: Editora Vida, 2003

IDÉIAS

Cuidado com tipos de livro sobre o assunto:

Os homens são de Marte e as mulheres são de Vênus, de Gray. Ressalta as diferenças e quase não aponta soluções.

Homens são de Israel, mulheres são de Moabe, de Wakefield e Broisma. Mostra a cooperação e a solicitude entre homem e mulher. Ressalta a parte do homem.

Homens são ostras; as mulheres, pés-de-cabra, de Clarke. Vai além dos dois. Mostra o processamento de informações e como reagimos a elas. Homens e mulheres são diferentes. “Auxiliadora idônea” é ezer kenegdô, “em oposição ajudando”. A Bíblia mostra cooperação e não choque (1Co 11.11-12).



http://www.isaltino.com.br/2010/05/preparando-se-para-acertar-no-casamento/